Ajustamento conjugal, relação mãe-bebê e sintomas psicofuncionais no primeiro ano de vida

Rafaela Campos Peruchi, Tagma Marina Schneider Donelli, Angela Helena Marin

Resumen

Considerando-se a importância das primeiras relações pais-bebê, este estudo teve como objetivo compreender a interação entre o ajustamento conjugal, a relação mãe-bebê e a manifestação de sintomas psicofuncionais na primeira infância. Participaram quatro díades mãe-bebê, sendo que duas mães avaliaram seu relacionamento conjugal como desajustado e duas como ajustado (Escala de Ajustamento Diádico – R-DAS) e todos os bebês apresentaram sintomas psicofuncionais (Questionário Symptom Check-List). As mães também responderam a Entrevista sobre a gestação e o parto, a Entrevista sobre a experiência da maternidade e foram filmadas em interação com seus bebês, utilizando-se o roteiro do Interaction Assessment Procedure (IAP). Com os dados é plausível supor que o ajustamento conjugal pode afetar a qualidade da relação mãe-bebê, contribuindo para a manifestação de sintomas psicofuncionais na criança. Percebe-se a necessidade de investigar as relações conjugais e parentais, a fim de prevenir o surgimento e/ou agravamento de sintomas na infância.

Palabras clave

Conjugalidade; Parentalidade; Relação mãe-bebê; Sintomas psicofuncionais

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))
Copyright (c) 2016 Rafaela Campos Peruchi, Tagma Marina Schneider Donelli, Angela Helena Marin