As Travestis na escola: entre nós e estratégias de resistência

Daniela Barros Torres, Luciana Fontes Vieira

Resumen

Procuramos compreender as experiências das travestis no contexto escolar, a partir de uma pesquisa-intervenção desenvolvida, em 2014, no Cabo de Santo Agostinho-PE. Para tanto, interrogamos como se deu o acolhimento das travestis na escola, considerando os aspectos que favoreciam e desfavoreciam sua permanência. Vale salientar que o nosso olhar foi atravessado pelos estudos queer, pós-colonialistas, feministas e pós-estruturalismo, tendo como referencias primordiais Michel Foucault e Judith Butler. As nossas interlocutoras foram travestis, maiores de idade e residentes no Cabo. Durante a pesquisa, foram realizadas quatro oficinas e número de participantes variável. A partir desse instrumento, observamos relatos diversos tanto de aceitação quanto de violência no espaço escolar. O nome social e o banheiro surgiram, invariavelmente, enquanto impeditivos de permanência no contexto escolar.

Palabras clave

Travesti; Escola; Políticas Públicas; Gênero

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM
Copyright (c) 2015 Daniela Barros Torres, LUCIANA FONTES VIEIRA