A formação do psicoterapeuta-aprendiz em clínica psicanalítica nas universidades do Brasil

Andréa Kioko Sonoda Gomes, Maria Elizabeth Barreto Tavares dos Reis

Resumen

A psicoterapia psicanalítica se constitui como uma das modalidades de atendimento clíni-co nos serviços-escolas. Desde Freud até a atualidade a psicanálise conquistou espaço nas universidades, não se restringindo mais às Sociedades Psicanalíticas. Temos como objeti-vo discorrer teoricamente sobre a formação acadêmica do psicoterapeuta-aprendiz nos estágios com enfoque psicanalítico nos serviços-escolas do Brasil. Observamos que a for-mação do psicólogo nos serviços-escolas estendeu-se para uma heterogeneidade de cam-pos, englobando diferentes modalidades de atendimentos, possibilitando pesquisas em psicanálise e ampliações relativas aos aspectos teórico-metodológicos. Concluímos que a prática clínica sem dúvida já ocupa um espaço no âmbito acadêmico. Porém, há muito ainda a ser questionado, uma vez que as vicissitudes do trabalho com o inconsciente, em sua potencialidade, abrangem possibilidades e limitações. A constante reflexão acerca da dimensão ética que permeia a prática clínica nos serviços-escolas deve estar presente, norteando debates sobre a temática da formação acadêmica do psicoterapeuta-aprendiz em clínica psicanalítica.

Palabras clave

Estágio clínico; Estudantes; Psicanálise; Universidade

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias

Abdalla, Ively Guimarães; Batista, Sylvia Helena & Batista, Nildo Alves (2008). Desafios do ensino de psicologia clínica em cursos de psicologia. Psicologia: ciência e profissão, 28(4), 806-819. https://doi.org/10.1590/s1414-98932008000400012

Amaral, Anna Elisa Villemor; Luca, Luana; Rodrigues, Thalita de Cássia; Leite, Carla de Andrade; Lopes, Fernanda Luzia & Silva, Marlene Alves da (2012). Serviços de psicologia em clínicas-escola: revisão de literatura. Boletim de Psicologia, 62(136), 37-52. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0006-59432012000100005&lng=pt&tlng=pt

Andrade, Antônio dos Santos; Tiraboschi, Gabriel Arantes; Antunes, Natália Amaral; Viana, Paulo Vinícius Banchette; A., Zanoto, Pedro Alvez & Curilla, Rafael Trebi (2016). Vivências Acadêmicas e Sofrimento Psíquico de Estudantes de Psicologia. Psicologia: Ciência e Profissão, 36(4), 831-846. https://doi.org/10.1590/1982-3703004142015

Barbosa, Fernanda Doretto; Laurenti, Maria Aparecida & Silva, Miguel Melo (2015). Significados do estágio em psicologia clínica: percepções do aluno. Encontro: Revista de Psicologia, 16(25), 31-53. Recuperado de http://pgsskroton.com.br/seer/index.php/renc/article/viewFile/2430/2329

Bellows, Karen (2007). Psychotherapists’ personal psychotherapy and its perceived influence on clinical practice. Bulletin of the Meninger Clinic, 71(3), 204-226. https://doi.org/10.1521/bumc.2007.71.3.204

Brandt, Juan Adolfo (2017). Supervisão em grupo da prática clínica psicanalítica: algumas reflexões. Vínculo, 14(1), 1-10. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-24902017000100006&lng=pt&tlng=pt

Cabaniss, Debora (2011). Teaching psychodynamics in the 21st century. San Francisco, CA: Lecture at the Meetings of the American Psychoanalytic Association. https://doi.org/10.1007/s10879-011-9201

Carvalho, Liliane Brandão; Alves, Ana Maria Ferreira; Passos, Clarissa Ale; Lopes, Fernanda Gomes; Holanda, Renata Bessa & Moreira, Virgínia (2015). A ética do cuidado e o encontro com o outro no contexto de uma clínica-escola em fortaleza. Revista da Abordagem Gestáltica, 21(1), 01-12. https://doi.org/10.18065/rag.2015v21n1.1

Conselho Federal de Psicologia (2001). Pesquisa feita junto aos associados, relatório final. https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2005/05/Pesquisa_WHO.pdf

Coutinho, Denise Maria Barreto; Mattos, André Santana; Monteiro, Camila Fonteles d’Almeida; Virgens, Pedro Andrade das & Almeida Filho, Naomar Monteiro de (2013). Ensino da psicanálise na universidade brasileira: retorno à proposta freudiana. Arq. bras. Psicol., 65(1), 103-120. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672013000100008&lng=pt

Cury, Bruno Morais & Ferreira Neto, João Leite (2014). Do Currículo Mínimo às Diretrizes Curriculares: os estágios na formação do psicólogo. Psicologia em Revista, 20(3), 494-512. https://doi.org/10.5752/p.1678-9523.2014v20n3p494

Darriba, Vinícius Anciães (2011). O lugar do saber na psicanálise e na universidade e seus efeitos na experiência do estágio nas clínicas-escola. Ágora: Estudos em Teoria Psicanalítica, 14(2), 293-306. https://doi.org/10.1590/s1516-14982011000200009

Dimenstein, Magda (2000). A cultura profissional do psicólogo e o ideário individualista: implicações para a prática no campo da assistência pública à saúde. Estudos de Psicologia (Natal), 5(1), 95-121. https://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2000000100006

Dutra, Elza (2004). Considerações sobre as significações da psicologia clínica na contemporaneidade. Estudos de Psicologia (Natal), 9(2), 381-387. https://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2004000200021

Fernandes, Luan Flávia Barufi; Miyazaki, Maria Cristina de Oliveira Santos & Silvares, Edwiges Ferreira de Mattos (2015). Caracterização da supervisão em um centro formador de Psicologia da Saúde. Estudos de Psicologia, 32(3), 499-509. https://dx.doi.org/10.1590/0103-166X2015000300014

Ferreira Neto, João Leite (2004). A formação do psicólogo – clínica, social e mercado. São Paulo, SP: Escuta.

Ferreira Neto, João Leite & Penna, Lícia Mara Dias (2006). Ética, clínica e diretrizes: a formação do psicólogo em tempos de avaliação de cursos. Psicologia em Estudo, 11(2), 381-390. https://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722006000200017

Fierro, Catriel (2019). Relaciones Inestables: Historia Epistemológica y estudios sobre formación en psicología en Argentina. Quaderns de Psicologia, 21(1), e 1431. http://dx.doi.org/10.5565/rev/qpsicologia.1431

Figueiredo, Luís Cláudio Mendonça (2009). A Psicanálise e a clínica contemporânea. Contemporânea-Psicanálise e transdisciplinaridade, 7, 9-17. http://www.revistacontemporanea.org.br/revistacontemporaneaanterior/site/wp-content/artigos/artigo202.pdf

Freud, Sigmund (1910/2013). As perspectivas futuras da terapêutica psicanalítica. In: S. Freud, Obras completas (P. C. de Souza, trad., Vol. 9, pp. 287-301). São Paulo, SP: Companhia das Letras.

Freud, Sigmund (1912/2017). Recomendações ao médico para o tratamento psicanalítico. In: Obras Incompletas de Sigmund Freud (C. Dornbusch, trad, pp. 93-106). Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora.

Freud, Sigmund (1913/2017). Sobre o início do tratamento. In: Obras Incompletas de Sigmund Freud (C. Dornbusch, trad, pp. 121-149). Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora.

Freud, Sigmund (1919/2017). Caminhos da terapia psicanalítica. In: Obras Incompletas de Sigmund Freud (C. Dornbusch, trad, pp. 191-204). Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora.

Freud, Sigmund (1919/1969). Deve a psicanálise ser ensinada na universidade? In S. Freud, Edição Standard Brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. (Vol. 17, Salomão, trad., pp. 217-219). Rio de Janeiro, RJ: Imago.

Freud, Sigmund (1926/2017). A questão da análise leiga. Conversas com uma pessoa imparcial. In: Obras Incompletas de Sigmund Freud (C. Dornbusch, trad, pp. 205-313). Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora.

Freud, Sigmund (1937/2018). Análise terminável e interminável. In: S. Freud, Obras completas (P. C. de Souza, trad., Vol. 19, pp. 274-326). São Paulo, SP: Companhia das Letras.

Godoy, Maria Beatriz Romano de (2016). O custo emocional para ser psicanalista ou psicoterapeuta psicanalítico. Transmissão, transformações e evoluções em psicanálise. In: Ryad Simon, Kayoko Yamamoto & Gina Khalif Levinzon (Orgs.), Novos Avanços em Psicoterapia Psicanalítica. Edição comemorativa dos 20 anos do Curso de Especialização em Psicoterapia Psicanalítica – Cepsi, 2016. (pp. 73-79). São Paulo: Zagodoni.

Grotstein, James (2017). “…no entanto, ao mesmo tempo e em outro nível...”: teoria e técnica psicanalítica na linha kleiniana/bioniana. (de Souza, João Paulo Machado, trad). São Paulo: Editora Blucher.

Kern, Cristina & Luz, Aniely Kristyne (2017). A psicanálise no contexto da clínica escola. Revista de Ciências Humanas, 51(1), 250-268. https://doi.org/10.5007/2178-4582.2017v51n1p250

Kernberg, Otto Friedmann (2011). Psychoanalysis and the university: A difficult relationship. The International Journal of Psychoanalysis, 92: 609–622. https://doi.org/10.1111/j.1745-8315.2011.00454.x

Kichler, Giselda Faes & Serralta, Fernanda Barcellos (2014). As implicações da psicoterapia pessoal na formação em psicologia. Psico, 45(1), 55-64. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2014.1.12531

Lima, Maria José; Macedo, Rosa Maria Stefanini de & Cerveny, Ceneide Maria de Oliveira (2015). Novas demandas para o fazer do psicólogo clínico no encontro com o social. Boletim de Psicologia, 65(142), 45-58. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0006-59432015000100005&lng=pt&tlng=pt

Lustoza, Rosane Zétola & Pinheiro, Nadja Nara Barbosa (2014). Discurso universitário e função do estágio na clínica-escola: contribuições da psicanálise. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 5(2), 02-14. https://doi.org/10.5433/2236-6407.2014v5n2p2

Macedo, Mônica Medeiros Kother & Dockhorn, Carolina Neumann de Barros Falcão (2015). Psicanálise, pesquisa e universidade: labor da especificidade e do rigor. Perspectivas en Psicología: Revista de Psicología y Ciencias Afines, 12(2). Recuperado de http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=483547667010

Magalhães, Mauro; Straliotto, Márcia; Keller, Márcia & Gomes, William (2001). Eu quero ajudar as pessoas: a escolha vocacional da psicologia. Psicologia: Ciência e Profissão, 21(2), 10-27. https://doi.org/10.1590/s1414-98932001000200003

Marcos, Cristina Moreira (2011). Reflexões sobre a clínica-escola, a psicanálise e sua transmissão. Psicologia Clínica, 23(2), 205-220. https://doi.org/10.1590/s0103-56652011000200013

Marcos, Cristina Moreira (2012). A Supervisão em psicanálise na clínica escola: breve relato de uma pesquisa. Revista Mal Estar e Subjetividade, 12(3-4), 853-872. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-61482012000200015&lng=pt&tlng=pt

Meira, Cláudia Hyala Mansilha Grupe & Nunes, Maria Lúcia Tiellet (2005). Psicologia clínica, psicoterapia e o estudante de psicologia. Paidéia (Ribeirão Preto), 15(32), 339-343. https://doi.org/10.1590/s0103-863x2005000300003

Mezan, Renato (2014/2019). O tronco e os ramos: estudos de história da psicanálise. São Paulo: Editora Companhia das Letras.

Mezzomo, Letícia (2008). Aprendendo a fazer psicanálise: dificuldades e conflitos de uma psicoterapeuta no início de suas atividades clínicas. Dissertação de Mestrado inédita, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Recuperado de https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15690

Moguillansky, Rodolfo (2013). A transmissão da psicanálise e a prática analítica atual. Jornal de Psicanálise, 46(85), 27-34.

Parth, Karoline; Datz, Felicitas; Seidman, Charles & Löffler-Stastka, Henriette (2017). Transference and countertransference: A review. Bulletin of the Menninger Clinic, 81(2), 167-211. https://doi.org/10.1521/bumc.2017.81.2.167

Pereira, Nathalia Matos & Kessler, Carlos Henrique (2016). Reflexões acerca de um início: psicanálise e clínica na universidade. Psicologia em Revista, 22(2), 469-485. https://doi.org/10.5752/p.1678-9523.2016v22n2p469

Pinheiro, Nadja Nara Barbosa & Darriba, Vinícius Anciães (2010). A clínica psicanalítica na universidade: reflexões a partir do trabalho de supervisão. Psicologia Clínica, 22(2), 45-55. https://doi.org/10.1590/s0103-56652010000200004

Pinheiro, Nadja Nara Barbosa & Darriba, Vinícius Anciães (2011). Elementos para interrogar uma clínica possível a partir da psicanálise na universidade. Interação em Psicologia, 15, 99-103. https://doi.org/10.5380/psi.v15i0.25382

Pinheiro, Nadja Nara Barbosa, & Maia, Maria Vitória Mamede (2015). Por favor, chamem a professora! Relato de uma Experiência Clínica. Educação & Realidade, 40(3), 883-898. https://dx.doi.org/10.1590/2175-623644720

Pires, Viviane Silva & da Silva, Silvia Maria Cintra da (2012). O processo de subjetivação Profissional durante os estágios supervisionados em psicologia. Psico, 43(3), 11. Recuperado de https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5631406

Prestes, Julia Fernandes Cavalcanti & Coutinho, Denise Maria Barreto (2018). A presença da psicanálise na universidade brasileira: uma análise bibliométrica. Diálogos Possíveis, 17(2). Recuperado de http://revistas.faculdadesocial.edu.br/index.php/dialogospossiveis/article/viewFile/513/373

Romera, Maria Lúcia Castilho & Alvarenga, Cérise (2010). O ensino da psicanálise na universidade: do legado de um impossível à invenção de possibilidades. Jornal de Psicanálise, 43(79), 187-199. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-58352010000200014&lng=pt&tlng

Rudá, Caio, Coutinho, Denise & Almeida Filho, Naomar Monteiro de (2015). Formação em psicologia no Brasil: o período do currículo mínimo (1962-2004). Memorandum: Memória e História em Psicologia, 29, 59-85. Recuperado de https://seer.ufmg.br/index.php/memorandum/article/view/6297/4776

Santos Filho, Francisco Carlos dos (2007). Conhecendo o inconsciente: relato da experiência com o ensino da psicanálise na universidade, com alunos do terceiro ano de graduação em psicologia. Revista Brasileira de Psicanálise, 41(2), 78-87. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0486-641X2007000200008&lng=pt&tlng=pt

Sarnat, Joan (2012). Supervising psychoanalytic psychotherapy: present knowledge, pressing needs, future possibilities. Journal of Contemporary Psychotherapy, 42, 151-160. Recuperado de https://doi.org/10.1007/s10879-011-9201-5

Sei, Maíra Bonafé & Colavin, João Rafael Pimentel (2016). Desistência e abandono da psicoterapia em um serviço-escola de Psicologia. Rev. Bras. Psicoter. (Online), 18(2), 37-49. Recuperado de http://rbp.celg.org.br/detalhe_artigo.asp?id=200

Silva, José Antônio Pereira da; Coelho, Maria Thereza Ávila Dantas & Pontes, Suely Aires (2017). Psicanálise e universidade: a experiência do estágio em psicologia clínica com orientação psicanalítica. Revista Psicologia, Diversidade e Saúde, 6(1), 44-49. https://doi.org/10.17267/2317-3394rpds.v6i1.1065

Silva, Milena da Rosa; Gasparetto, Letícia & Campezatto, Paula von Mengden (2015). Psicanálise e psicoterapia psicanalítica: tangências e superposições. Revista Psicologia e Saúde, 7(1), 39-46. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2177-093X2015000100006&lng=pt&tlng=pt

Tanis, Bernardo (2014). O pensamento clínico e o analista contemporâneo. Jornal de Psicanálise, 47(87), 197-214. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-58352014000200012&lng=pt&tlng=pt

Wallerstein, Robert (2005). Psicanálise e psicoterapia de orientação analítica: Raízes históricas e situação atual. In: Claudio Laks Eizirik, Rogério Wolf de Aguiar e Sidnei Samuel Schestasky (Eds.), Psicoterapia de orientação psicanalítica: Fundamentos teóricos e clínicos (pp. 43-57). Porto Alegre: Artmed. Recuperado de http://srvd.grupoa.com.br/uploads/imagensExtra/legado/E/EIZIRIK_Claudio_Laks/Psicoterapia_Orientacao_Analitica_3ed/Lib/Amostra.pdf

Wegner, Peter (2012). A formação do psicanalista na Alemanha e Europa. Jornal de Psicanálise, 45(82), 45-55. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-58352012000100004&lng=pt&tlng=pt

Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM
Copyright (c) 2019 Andréa Kioko Sonoda Gomes Andréa, Maria Elizabeth Barreto Tavares dos Reis Maria Elizabeth