Aspectos teórico-metodológicos y éticos en la investigación cualitativa en psicología social con base construccionista

Emilly Sales Sala Gomes, Mônica Lima de Jesus

Resumen

Partimos do pressuposto que o rigor científico da pesquisa qualitativa é dar visibilidade às decisões teórico-metodológicas e considerar as implicações éticas decorrentes. Nesta direção, adotamos a perspectiva das práticas discursivas e produção de sentidos, uma das vertentes da psicologia social de base construcionista. Para tanto, expomos detalhadamente os procedimentos de produção e análise realizados em uma dissertação sobre atuação de psicólogas no campo do HIV/aids. Defendemos a explicitação de todos os passos, ajustes, refinamentos, incorporações e procedimentos adotados. O rigor da produção de conhecimento que defendemos está baseado não na busca de rigidez, mas nos alcances da maleabilidade, que à primeira vista é contraditório, mas ao juntar-se à visibilidade, assenta na boa qualidade da pesquisa. Além disso, ressaltamos que uma postura ética não se limita ao cumprimento de Resoluções de Ética.

Palabras clave

Pesquisa qualitativa; Ética; Psicologia social; Construcionismo

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias

Aragaki, Sérgio S.; Lima, Maria L. C.; Pereira, Camila C. Q. & Nascimento, Vanda L. V. (2014). Entrevistas: negociando sentidos e coproduzindo versões de realidade. In.: Mary J. Spink, Jacqueline I. M. Brigagão, Vanda L. V. Nascimento & Mariana P. Cordeiro (Orgs.), A produção de informação na pesquisa social: compartilhando ferramentas (pp. 57-72). Centro Edelstein de Pesquisas Sociais.

Aragaki, Sérgio S.; Piani, Pedro P. & Spink, Mary J. (2014). Uso de repertórios linguísticos em pesquisas. In.: Mary J. Spink, Jacqueline I. M. Brigagão, Vanda L. V. Nascimento & Mariana P. Cordeiro (Orgs.), A produção de informação na pesquisa social: compartilhando ferramentas (pp. 229-246). Centro Edelstein de Pesquisas Sociais.

Campos, Gastão W. S. (1996/1997). Uma clínica do sujeito: por uma clínica reformulada e ampliada. Mimeo. http://www.pucsp.br/prosaude/downloads/bibliografia/CLINICAampliada.pdf

Campos, Gastão W. S., & Amaral, Márcia A. (2007). A clínica ampliada e compartilhada, a gestão democrática e redes de atenção como referenciais teórico-operacionais para a reforma do hospital. Ciência & Saúde Coletiva, 12(4), 849-859. https://doi.org/10.1590/S1413-81232007000400007

Conselho Nacional de Saúde. (2012). Resolução que orienta a realização de pesquisas com seres humanos. Resolução Nº 466/2012. CNS. http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Conselho Nacional de Saúde. (2016). Resolução para pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. Resolução 510/2016. CNS. http://www.conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf

Cordeiro, Mariana P.; Freitas, Thiago R.; Conejo, Simone P. & De Luiz, George M. (2014). Como pensamos ética em pesquisa. In.: Mary J. Spink, Jacqueline I. M. Brigagão, Vanda L. V. Nascimento & Mariana P. Cordeiro (Orgs.), A produção de informação na pesquisa social: compartilhando ferramentas (pp. 31-56). Centro Edelstein de Pesquisas Sociais.

Gergen, Kenneth J. (1985/2009). O movimento do construcionismo social na psicologia moderna. Revista Inter. Interdisc. INTERthesis, 6(1), 299-325. https://doi.org/10.5007/1807-1384.2009v6n1p299

Gergen, Kenneth J. (1996). Realidades Y Relaciones: Aproximacion a la Construccion Social. Paidos Iberica.

Ibáñez, Tomás (2004). O “giro linguístico”. In: Lupicínio Iñiguez (Org.), Manual de análise do discurso em ciências sociais (pp. 19-49). RJ. Vozes.

Pinheiro, Odette G. (2013). Entrevista: uma prática discursiva. In: Mary J. Spink (Org.), Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano (pp. 156-187). Centro edlstein de pesquisas sociais.

Rasera, Emerson F. & Japur, Marisa (2005). Os sentidos da construção social: o convite construcionista para a psicologia. Paidéia, 15(30), 21-29. https://doi.org/10.1590/S0103-863X2005000100005

Sala, Emilly. (2018). Práticas discursivas sobre atuação psicológica em HIV-aids: sentidos produzidos no cotidiano dos serviços de saúde em uma cidade da Bahia. Dissertação de mestrado inédita, Instituto de Psicologia. Universidade Federal da Bahia.

Spink, Mary J. P. & Frezza, Rose M. (2013). Práticas discursivas e produção de sentido: a perspectiva da psicologia social. In: Mary J. Spink (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano (pp. 1-21). Centro edlstein de pesquisas sociais.

Spink, Mary J. P. & Lima, Helena (2013). Rigor e visibilidade: a explicitação dos passos de interpretação. In: Mary J. Spink (Org.), Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano (pp. 71-99). Centro edlstein de pesquisas sociais.

Spink, Mary J. P. & Medrado, Benedito (2013). Produção de sentido no cotidiano: uma abordagem teórico-metodológica para análise das práticas discursivas. In: Mary J. Spink (Org.), Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano (pp. 22-41). Centro edlstein de pesquisas sociais.

Spink, Mary J. P. & Menegon, Vera M. (2013). A pesquisa como prática discursiva: superando os horrores metodológicos. In: Mary J. Spink (Org.), Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano (pp. 42-70). Centro edlstein de pesquisas sociais.

Vázquez-Sixto, Félix (1996). El análisis de contenido temático. Objetivos y medios en la investigación psicosocial. (Documento de trabajo no publicado). Universitat Autònoma de Barcelona.

Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM
Copyright (c) 2020 Emilly Sales Sala Gomes, Mônica Lima de Jesus